Para o entendimento claro, consideram-se as seguintes definições e conceitos no contexto da ENGENHARIA DIAGNÓSTICA:

 

 

1)- Vício de Construção:

 

       São as falhas construtivas que surgiram no transcorrer da obra e que se manifestam até o presente. De forma direta ou indireta prejudicam a estética, a estanqueidade das áreas, a estabilidade, a segurança e o bom funcionamento dos elementos construtivos e das instalações ou ainda, que modificam essencialmente os projetos e especificações técnicas.

 

       O conceito abrange as divergências entre Construção X Projetos e também entre construção X Convenção do Condomínio. Também se enquadram neste conceito, as divergências entre a Construção X Material de Propaganda, quando possível de ser considerado.

 

Como exemplos de vícios de construção temos : 

 

• Falhas ou ausências de rejuntamento de pisos e paredes;

 

• Ausência de planeza em pisos cerâmicos ou sobressalto acentuado nas trocas de piso sem a presença de soleiras;

 

• Uso indevido ou inadequado de materiais;

 

• Falta de prumo e alinhamento; 

 

• Caimentos de piso invertidos em relação aos pontos de captação;

 

• Pressão insuficiente ou demasiadas  nas instalações hidráulicas etc.

 

 

2)- Patologia:

 

       É a perda total ou parcial do desempenho ou da função de um dos elementos construtivos decorrentes dos vícios de projeto ( concepção ) ou da execução ( vícios de construção). 

 

Como exemplos de patologias temos:

 

• Fissuras ou trincas;

 

• Descolamento ou desplacamento de revestimentos de piso ou paredes; 

 

• Infiltrações internas ou externas, etc.

 

 

3)-Danos ou Avarias:

 

 

São situações ocasionados pelo mau uso ou  também pela ausência e falha de manutenção.

 

 

Como exemplos de danos temos:

 

 

• Peças de madeira ou metálicas alumínios riscadas ou amassadas;

 

• Portas, dobradiças e vidros quebrados; 

 

• Peças cerâmicas sujeitas ao choque de objetos contundentes ou pesados, quebrando-as, etc.

 

 

4)- Classificação de Não Conformidades pelo Sistema GUT- Gravidade x Urgência x Tendência:

 

       Conceito que estabelece o grau de risco que cada não conformidade identificada se manifesta numa construção.

 

      Leva em conta uma pontuação para cada variável, Gravidade, Urgência nas  providências, e Tendência de seus efeitos. 

 

       O risco total é o resultado do produto (multiplicação) entre a pontuação de cada um dos três conceitos. Quanto maior a pontuação final do item, maior o risco daquela situação. 

 

       São ordenados numa tabela em ordem decrescente de pontuação e servem de subsídio para as prioridades nas intervenções. A pontuação segue critérios de avaliação e experiência dos vistoriadores.

 

Exemplo:

 

a)-Danos no Para-raios: Gravidade =10 x Urgência =10 x Tendência 10= (10x10x10)=1000.

 

b)-Trinco de janela quebrado: Gravidade = 6 x Urgência=3 x Tendência 1= (6x3x1)= 18.

 

 

5)- Vistoria de Vizinhança:

 

      É a constatação das características e condições físicas do local, terreno e imóveis vizinhos a empreendimento de construção civil, mediante verificação “in loco” , para possibilitar o registro descritivo e ilustrativo das mesmas. (*) 
 


6)- Inspeção em Edificação:

 

      É a análise técnica de fato, condição ou direito relativo a uma edificação. (*)


Podendo ser:


       1. Inspeção de recebimento de obra: - Serve para constatar as condições técnicas da edificação, no ato da entrega da obra, pronta para sua utilização.
 
        2. Inspeção de edifício em garantia: - Serve para constatar as condições técnicas da obra, que já foi entregue, e se encontra em pleno uso e funcionamento todos sistemas na fase pós-entrega.
 
      3. Inspeção predial: - É a avaliação das condições técnicas de uso e de manutenção da edificação visando orientar as manutenções futuras  e a qualidade predial total.
 
Seguindo o IBAPE/ SP-os níveis de inspeção dividem-se em:
 
      • Inspeção nível 1: Identifica as anomalias e falhas aparentes, sendo elaborada por profissional habilitado.
 
   • Inspeção nível 2: Identifica as anomalias e falhas aparentes, eventualmente, identificadas com o auxílio de equipamentos e/ou aparelhos, bem como analisa documentos técnicos específicos. Pode ser conduzida por profissionais especializados em uma ou mais especialidades.
 
      • Inspeção nível 3: é de nível 2 , acrescida de auditoria técnica conjunta ou isolada de aspectos técnicos de uso e de manutenção, além de promover ajustes dos procedimentos existentes no plano de manutenção.
 


7)- Perícia:

 

      Etimologicamente, o termo perícia advém do latim PERITIA e significa “conhecimento adquirido pela experiência”. No linguajar jurídico, designa a diligência realizada, a fim de esclarecer ou evidenciar certos fatos, quando se deseja esclarecer circunstâncias que não se acham perfeitamente definidas (*).
 

 

8)- Auditoria em Edificação:

 

      Consiste em  atestar, ou não, a conformidade de um fato, condição ou direito relativo a uma edificação. Ou seja, determina através de parecer, após as devidas diligências e análises técnicas e documentais, se houve ou não o atendimento a contratos, normas técnicas, posturas legais, projetos, especificações, manuais de manutenção e aos códigos de obra (*).
 


9)- Consultoria:

 

       Consiste num parecer que prescreve as soluções e recomendações para as anomalias construtivas, para as patologias e falhas de manutenção  e de demais fatos e problemas incidentes na construção. Em geral tais prescrições não são únicas, pois existe, na maioria dos casos, mais de uma técnica para  solucionar  uma mesma situação.
 
Fonte: (*)Tito Lívio F. Gomide, Engenharia Diagnóstica em Edificações- PINI,2009-pag 80, 111, 112, 141, 180,251)

 

 

Eng. Fábio Mascarenhas                                                                                               CREA-19.041/D-DF

 

*Autorizada a reprodução desde que citados o autor e a fonte.

Conceitos e Definições